Social
04/10/2012
Medidas adicionais para garantir Copa de 2014, segundo ONS

GT Copa é responsável por identificar as medidas necessárias para reforços na transmissão e na rede de distribuição

Medidas adicionais estão sendo tomadas pelo governo para que não ocorram interrupções no fornecimento de energia durante os jogos da Copa do Mundo de 2014. De acordo com Hermes Chipp, diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico, o sistema ainda está sendo preparado. A preocupação com a Copa de 2014 se deve ao fato de estarem ocorrendo interrupções no fornecimento de energia no país. No final do mês passado, um problema na subestação de Imperatriz (MA), da Eletronorte, causou desligamentos no Nordeste. Na última quarta-feira, 3 de outubro, um acidente na subestação de Foz do Iguaçu (PR), de Furnas, também interrompeu o abastecimento de energia em estados do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte.

Para a Copa, o Ministério de Minas e Energia formou um grupo de trabalho, o GT Copa, que conta com oito forças tarefas, sendo quatro coordenadas pelo próprio ONS e quatro pela Empresa de Pesquisa Energética. Esse grupo de trabalho é responsável por identificar todas as medidas necessárias para reforços na transmissão e na rede de distribuição. "Não está ainda preparado [o sistema]. Nós estamos tomando as medidas adicionais para esses eventos especiais", comentou o executivo. Segundo ele, existe uma resolução do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico que dá uma prerrogativa ao operador de prover medidas adicionais como menor carregamento nas linhas, maior geração térmica, suportando contingências duplas quando possível - o critério normal é de contingência simples.

Chipp contou ainda que essas medidas estipuladas na resolução do CMSE serão usadas no próximo fim de semana para garantir as eleições municipais.  "Para domingo vamos gerar térmica adicional para suportar, em todos os locais onde seja possível, contingência dupla ou para minimizar o desligamento, caso ele venha a acontecer", esclareceu. Atualmente, 10 mil MW de térmicas a gás ou biomassa estão sendo despachadas. Para domingo, o ONS deverá acionar algumas térmicas adicionais a biomassa. O executivo contou que essas térmicas deverão ter uma geração pequena, menor que 200 MW.

Carolina Medeiros, da Agência CanalEnergia, Operação e Manutenção 04/10/2012